Sérgio Conceição: “Tenho um grupo fantástico”

Treinador elogiou a evolução da sua equipa e não negou a emoção no regresso ao Dragão, agora como treinador

 

Sérgio Conceição voltou a dar nota positiva à sua equipa após mais um teste de pré-temporada. O treinador do FC Porto elogiou o comportamento de todos os jogadores numa fase delicada da temporada, em que o trabalho é muito e o tempo é pouco para assimilar as novas ideias, deixando bem claro que tem à disposição um grupo fantástico. Entre a aceitação dessas novas ideias e os golos marcados, que destacou como pontos positivos na vitória sobre o Deportivo da Corunha (4-0)​, o técnico não esconde que há ainda muita coisa a melhorar até ao dia do início oficial da competição, até porque o objetivo é roçar o mais possível a perfeição.

No dia em que regressou ao Estádio do Dragão, o ex-extremo portista não escondeu a emoção de pisar um palco que tanto lhe diz, garantindo que tudo vai fazer para que o clima de festa se prolongue sempre que o FC Porto jogar, de preferência até maio.

Análise à partida
“Gostei da aceitação dos jogadores do nosso principio de jogo e dos golos que marcámos. Tivemos uma dinâmica de jogo que nos permitiu chegar à baliza adversária de forma rápida, intensa, com uma pressão constante sobre o adversário. O menos positivo foram os momentos em que estamos fora de tempo no que chamamos o encurtar sobre o adversário. Não podemos deixar esse espaço e permitir que a equipa adversária saia com perigo, porque um ponto forte nosso não pode depois ser uma fragilidade. Em alguns momentos também precisamos de descansar com bola. Há muita coisa a trabalhar, mas há muita também que já é bem feita. Não paro de ouvir que a base do FC Porto é igual à do ano passado, e, relativamente aos jogadores, é verdade, mas penso que a dinâmica é completamente diferente. Não se pode fazer comparações. Em determinados momentos peço coisas aos jogadores que eles não estavam habituados a fazer e daí a importância do tempo. Bem sei que no futebol não há tempo, mas tentamos abreviar ao máximo esse tempo para chegarmos ao ponto que nós queremos, que é roçar a perfeição. Tenho um grupo fantástico naquilo que é o acreditar. Temos feito um trabalho difícil, exigente, mas que vai fazer que em maio estejamos todos felizes.

A dupla de avançados
“São dois jogadores importantes. Importa também perceber que o trabalho deles não se esgota no momento de construção, mas também se prolonga no momento defensivo. E quando eles não o fazem perdemos alguma presença no meio-campo que nos deixa em dificuldades, pois só temos dois médios e precisamos desse equilíbrio. São as tais situações que vamos trabalhando.”

O regresso como treinador
“Para mim foi muito difícil. Para já porque não gosto de festas. Percebo perfeitamente a paixão destes adeptos por este clube e estamos todos aqui para fazer uma festa sempre que o FC Porto joga, mas acho que a festa devem fazer os adeptos depois do nosso trabalho em campo. Voltar aqui foi uma emoção grande. Foi o regressar a uma casa que me criou alguma emoção, por tudo o que disse na minha apresentação. Chegar aqui como treinador principal é fabuloso. Depois tenho que dar uma palavra ao nosso presidente, pois foi ele que deu a grandeza que o clube tem neste momento. Lembrei-me dele quando entrei aqui porque foi ele que me deu esta oportunidade. Foi um dia emocionante.”

Fonte: FC Porto