“Temos de continuar a trabalhar, porque estamos cada vez melhor com Nuno” Óliver Torres

ÓLIVER Médio admite que a vitória com Braga teve um efeito psicológico positivo no FC Porto e que a equipa está a crescer. Feirense, Chaves e Marítimo são mais importantes do que o clássico

“É cruel fazer essa avaliação [pelos resultados]. Existiram jogos que ficaram 0-0 em que também jogámos bem”
“Temos de continuar a trabalhar e manter a nossa ideia, porque estamos cada vez melhor com Nuno” Óliver Torres Médio do FC Porto
Atlético de Madrid: médio considera que “seria bonito” defrontar o clube formador I Liga: espanhol sustenta que o triunfo com o Braga deu confiança para o futuro

Consciente que “os golos marcam a diferença”, o sub-21 por Espanha lembra que as avaliações realizadas à equipa apenas pelos resultados foram cruéis e que esta também jogou bem em jogos de 0-0

Óliver entende que a equipa andava a jogar bem há algum tempo, mas faltavam os golos

Garantida a presença nos oitavos de final da Liga dos Campeões, à custa de uma vitória e uma exibição contra o Leicester que Óliver Torres descreveu como “bem merecida e trabalhada”, chegou o momento de o FC Porto voltar a apontar baterias ao campeonato. Amanhã há um Benfica Sporting que poderá dar aos dragões a possibilidade de saltarem para o segundo lugar ou ficarem a apenas dois pontos da liderança, mas o médio só tem um desejo para o clássico. “Que o FC Porto ganhe ao Feirense”, atirou, sublinhando a importância de a equipa manter a rota ascendente na tabela até às férias, marcadas para 20 de dezembro. “Vamos defrontar o Feirense focados no que temos de fazer: tentar ganhar. Sabemos que é um jogo muito importante, porque temos de vencer todos os jogos até ao Natal. Depois veremos como fica a classificação”, indicou.

A goleada ao Leicester transmitiu novamente a ideia de um FC Porto vigoroso e, para isso, foi fundamental o triunfo com o Braga. Mais do que os três pontos, a vitória teve um efeito positivo na equipa, libertando-a da carga psicológica negativa que cinco empates (quatro deles a zero) tinham desencadeado. “Tivemosmuitas oportunidades nesse jogo, que só acabou 1-0, com um golo no último minuto, mas podia ter ficado 3-0 ou 4-0. A forma como se conseguiu a vitória e como se festejou, com todos a correr na mesma direção, deu-nos força para enfrentar o que aí vem”, explicou o internacional sub-21 espanhol, defendendo que os portistas foram cruelmente avaliados pela recente seca de golos. “Às vezes disseram que não jogámos tão bem porque não marcámos golos. Existiram jogos que ficaram 0-0 em que também jogámos muito bem. Temos de continuar a trabalhar e manter a nossa ideia, porque estamos cada vez melhor com Nuno [Espírito Santo]”, alegou o médio espanhol.

Fonte: Ojogo

Imagem: Alberto Fernandes