Um passo à frente no triunfo sobre o Vitória

FC Porto conquistou o Troféu Cidade de Guimarães após um triunfo por 2-0 sobre o Vitória de Guimarães​​​​​​​

 

​​O FC Porto conquistou na noite deste domingo o Torneio Cidade de Guimarães, graças a um triunfo por 2-0 sobre o Vitória. No Estádio D. Afonso Henriques, os golos portistas foram apontados por Aboubakar (21m) e Soares (26m), neste que foi o terceiro jogo particular da pré-temporada azul e branca, o primeiro realizado em solo português. Está dado mais um passo na preparação para a época 2017/18.

Um pouco à imagem do que já tinha ficado claro nos dois jogos no México, voltaram a ser positivas as indicações dadas pela equipa azul e branca, em especial nos primeiros 45 minutos, jogados sem substituições, em que os portistas dominaram por completo os destinos da partida.

Relativamente à última partida no México​, Sérgio Conceição alterou apenas dois jogadores no alinhamento inicial: André André cedeu o lugar a Danilo e Corona ocupou a vaga de Hernâni. E foi já um FC Porto bem oleado o que se viu entrar em campo na noite deste domingo: uma equipa rápida a reagir à perda e, sobretudo, à recuperação de bola, sempre com grande objetividade quando a tinha em seu poder. Outras das característica que que se voltou a acentuar foi a velocidade com a equipa chegava aos momentos de finalização, insistindo em tabelas como forma de progressão pela zona interior, alternadas com um estilo de jogo mais direto sempre que possível.

Numa dessas combinações (com Aboubakar), logo no terceiro minuto, Otávio teve nos pés o primeiro lance digno de registo do ataque portista, ele que voltaria a ficar perto minutos depois, na emenda de um cruzamento de Soares. Os portistas iam jogando bem dentro do meio-campo vimaranense e, já depois de Soares ter acertado com o poste, foi com naturalidade que inauguraram o marcador. Aboubakar, aproveitando um erro da defensiva do Vitória, isolou-se e só parou depois de contornar Douglas e encostar o 1-0 (21m), e cinco minutos depois, após um lançamento direto de Marcano, foi Soares a ganhar a dianteira e a usar a classe do pé direito para desviar a bola do guardião vimaranense (2-0, 26m).

A vencer por 2-0, os Dragões baixaram o ritmo de jogo, mas nem por isso deixaram de dominar e jogar perto da área adversária, algo que já não se viu com tanta frequência no segundo tempo. O primeiro destaque dos segundos 45 minutos, já com João Pinheiro no lugar de Jorge Sousa como árbitro principal, foi a expulsão de André André (51m), após uma falta sobre Hurtado, que lhe valeu o vermelho direto.

Ainda que reduzidos a 10 elementos, os Dragões não perderam o equilíbrio e foi preciso esperar cerca de uma hora para que os vimaranenses criassem a primeira ocasião de perigo para a baliza que na segunda parte esteve guardada por José Sá: valeu Felipe, que mostrou a agilidade que lhe é reconhecida para salvar o golo certo da equipa da casa (61). O que se seguiu foi a habitual “dança” das substituições de ambos os lados, o que, como habitualmente acontece nos jogos de pré-época, acabou por quebrar o ritmo a um jogo em que o triunfo portista não merece discussão.

Os Dragões seguem agora para um estágio no Algarve, durante o qual têm agendado novo particular, desta vez frente ao Portimonense. O quarto jogo da pré-época portista vai jogar-se no Estádio do Algarve, na próxima quinta-feira, às 20h30.