W52-FC Porto já prepara a subida de divisão

Equipa vencedora da Volta vai investir em novo autocarro e camião, mais dois ou três reforços, decidindo depois se sobe a Profissional Continental em 2018 ou em 2019.

Adriano Quintanilha, dono da W52 e principal patrocinador da equipa de ciclismo portista, concorda ser o êxito desportivo uma mola impulsionadora que justifica a subida de divisão internacional, a acontecer na próxima época ou na seguinte.
“Para já, vamos adquirir um autocarro grande e moderno, mais um camião-oficina de boas dimensões. Será um grande investimento, a rondar o meio milhão, e queremos também mais dois ou três corredores com potencial. Essas serão as bases de uma subida de divisão, que pode acontecer já na próxima época ou na seguinte. Essa decisão ainda será tomada, pois o essencial será dar todos os passos com cautela. Não queremos forçar uma promoção para depois acabar com o ciclismo”, explicou-nos Adriano Quintanilha, um gestor conhecedor do meio e que por isso sabe ser “prioritário investir na melhoria das condições”.
Quanto à qualidade dos corredores, essa já está expressa nas tabelas ontem divulgadas pela União Ciclista Internacional. A W52-FC Porto subiu ao 14.º lugar do ranking europeu, mas é terceira entre as equipas Continentais e supera muitas das 22 formações Profissionais Continentais, as do escalão superior e que têm um calendário internacional completo e plantéis acima dos 14 corredores, o que significa maiores possibilidades de pontuar.
“Vamos tentar manter toda a equipa. Os corredores têm grande carinho por mim e sei que nos darão preferência, mas eles também sabem que não cortarei as pernas a quem tiver uma grande proposta”, comentou ainda o patrão da W52 sobre o assédio a Raul Alarcón e Amaro Antunes, primeiro e segundo de uma Volta a Portugal novamente dominada pelos portistas. “Quando deixei o ciclismo, em 2000, disse que só regressava se fosse para ganhar a Volta. Esta já foi a quarta seguida…”, terminou um satisfeito Quintanilha.

Fonte: O jogo